LINKEDIN – SAIBA OS ERROS DE QUEM PROCURA EMPREGO NA REDE

O LinkedIn é a maior rede social voltada para profissionais. Atualmente, o Brasil é o terceiro país com o maior número de usuários, totalizando 13 milhões, estando atrás apenas dos Estados Unidos e da Índia. Contudo, não só os profissionais se renderam a ela, como as empresas também. Muitas organizações, como a PlaceRH, utilizam o LinkedIn como uma ferramenta de recrutamento e seleção.
Para quem está em busca de oportunidades, é importante manter o perfil atualizado e completo. Além disso, há algumas atitudes que devem ser evitadas, visto que podem diminuir as chances do candidato ser selecionado para participar de processos.

  • Incluir mais informações no local destinado ao nome e sobrenome:
    No campo destinado ao seu nome e sobrenome, inclua apenas essas informações. Não acrescente caracteres especiais ou emojis, como flechas, computadores ou foguetes.
    Outro dado que não deve ser inserido nesse local é a especialização. Há perfis em que o nome dos profissionais está “João Silva, MBA”, por exemplo. O LinkedIn possui um campo destino apenas para a formação acadêmica e os cursos realizados, então não é necessário incluir essa informação no seu nome.
  • Incluir a frase “em busca de recolocação” no título:
    Muito utilizada por profissionais que estão buscando por oportunidades, essa frase não deve ser incluída no seu título. Os recrutadores buscam os perfis por meio de palavras-chave. Logo, eles procuram pelos profissionais cujo título coincide com o da área que eles precisam. Por exemplo, se um recrutador está buscando um analista de marketing digital, ele pesquisará por “marketing digital”, não por recolocação.
    Há três principais maneiras de incluir as informações do título de forma correta:
    1. Cargo atual e a empresa onde trabalha atualmente;
    2. Palavras-chave referentes à posição desejada;
    3. Frase resumida do que você faz.
  • Enviar mensagens genéricas:
    Ao entrar em contato com um recrutador ou outro profissional do LinkedIn, adeque a mensagem de acordo com o perfil da pessoa, descrevendo porque você está solicitando a conexão e questionando sobre a possível oportunidade. Ao enviar uma mensagem genérica, sem personalizar ela conforme o destinatário há grandes chances de ela ser ignorada.
  • Expor fotos e informações pessoais inadequadas:
    É sempre importante ressaltar que o LinkedIn é uma rede social profissional, por isso é preciso tomar cuidado com a publicação de fotos inadequadas e informações que ofereçam uma exposição pessoal forte. Também é necessário atentar-se ao conteúdo das postagens e da escolha de uma foto de perfil adequada.
  • Incluir informações incorretas ou supervalorizadas:
    Seja o mais sincero e verdadeiro possível no relato de sua trajetória profissional, nada de transformar a participação em um projeto em liderança, por exemplo. Um perfil autêntico, sem experiências brilhantes, é mais valorizado do que um cheio de fantasias. As informações supervalorizadas até poderão destacar o perfil em um primeiro momento. Contudo, posteriormente, fará com que ocorra a desclassificação do processo seletivo.
  • Não descrever as atividades que desempenhava nos cargos anteriores:
    Assim como no currículo tradicional, é importante citar as atividades que foram realizadas durante os cargos que ocupou anteriormente na sua trajetória profissional. Descreva um resumo de suas principais realizações, explorando os pontos altos das atividades desenvolvidas, especialmente os que estão relacionados às competências que são necessárias para os cargos que deseja.

Deixe um comentário