A QUALIFICAÇÃO COMO FERRAMENTA DE COMPETITIVIDADE

Diante do cenário competitivo que o mercado de trabalho apresenta, o desenvolvimento de profissionais em suas áreas de atuação tornou-se mais importante. Há não muito tempo, as pessoas formavam-se em seus respectivos cursos técnicos ou graduações e isso já era considerado o suficiente para servir de garantia à empregabilidade e estabilidade.
Nos dias atuais é necessário estar ciente que a presença de uma certificação adicional pode significar a possibilidade de uma boa contratação. Frente a isso, tornou-se bastante raro deparar-se com algum profissional que não possua ou não esteja cursando algum curso de especialização; seja uma extensão, MBA, pós-graduação ou, ainda, um mestrado.
A formação acadêmica passou a ser considerada fundamental para a apresentação de um currículo capaz de destacar-se frente a um processo seletivo. Pensando do ponto de vista do contratante, é fácil perceber que o profissional com uma melhor formação conseguirá acesso a vagas cada vez menos operacionais, garantindo, em sua contratação, cargos superiores àqueles que conseguiriam em tempos anteriores.
A busca pela melhoria da qualificação não beneficia só os profissionais que se encontram disponíveis no mercado de trabalho, mas também os que já estão empregados e visam à manutenção das posições e possíveis promoções. Nesse último caso, é importante estar ciente da necessidade de relação entre o cargo atual e o curso escolhido, de forma a assegurar a soma na qualificação profissional, e não o distanciamento dela.
Apesar da busca por cursos de aperfeiçoamento estar bastante relacionada a questões curriculares, é preciso pensar além. Deve-se compreender que, mesmo que num primeiro momento possa não haver a devida valorização e reconhecimento quanto à qualificação escolhida, o conhecimento adquirido não agregará apenas ao currículo.

Deixe um comentário